A PROPOSTA

A proposta desta oficina é facilitar o entendimento do processo fotográfico a partir da sua gênese e estimular o exercício do pensamento crítico sobre as possibilidades do fazer fotográfico nas mais diversas áreas do conhecimento.

O processo e o ambiente da oficina se alimentam da reação dos participantes a um programa de atividades que reúne, entre outros,  a construção e uso de dispositivos de visualização e captura de imagens, laboratório, saídas de observação e registro de imagens, permeadas por dinâmicas colaborativas e rodas de conversa.

 

 

DE OLHOS VENDADOS – RESUMO DO PROGRAMA

Circulo da alteridade: apresentação individual a partir do lugar do afeto;

Dinâmicas mobilizadoras do corpo e dos sentidos da percepção;

O corpo como ferramenta. Mãos para que?

Dinâmica da semente de olhos vendados: sentir, latência e significados

Pincel de luz: o gesto revelador

Matéria e materiais: origens, características, propriedades e possibilidades.

Fontes e caminhos da luz:  propagação, reflexão, refração e difusão

A imagem: construção de um modelo de câmera obscura pinhole

A luz-imagem: origem e percepção.

Espaço tempo de e da luz: o físico e o simbólico numa teia.

A fotografia pinhole: construção de uma câmera fotográfica pinhole.

Fotografia Pinhole:  registros e possibilidades

Os raios de luz por uma lupa: convexidade, convergência, comprimento focal.

Câmera obscura com um dispositivo óptico: plano focal, luminosidade e profundidade de campo.

A câmera fotográfica e os dispositivos de controle do fluxo de luz: abertura, tempo de exposição e possibilidades.

Movimento, foco e produndidade de foco.

Espaço tempo numa janela.

Percepção, leitura, analise e registro da luz-imagem

Processos analógico e digital: tempos e fluxo de trabalho

Rodas de conversa: leituras e releituras de processos.

 

 

PERÍODO

19 de setembro a 03 de outubro de 2017

Encontros durante a semana, terças e quintas, 19 às 21h

Encontros, práticas,  laboratório,  saídas, etc. aos sábados e domingos

 

CARGA HORÁRIA

42 horas, incluso laboratório, saídas e expedições

 

INVESTIMENTO

R$555 parcelado em até 3 vezes no cartão de crédito

O valor inclui custos com material de consumo.

 

REQUISITOS

Interesse e disponibilidade para participar de todas as atividades, e passar pela entrevista.

Idade mínima: 12 anos

 

CRONOGRAMA DE INSCRIÇÃO

Pré-inscrição: até 30 de agosto 2017

Entrevistas: de 01 a 07 de setembro 2017

Inscrição definitiva (para os selecionados): até 15 de setembro.

 

 

MIGUEL CHIKAOKA

Natural de Registro-SP, vive e trabalha em Belém desde 1980, onde iniciou  um movimento em torno do fazer e pensar coletivo da fotografia cujo desdobramento resultou na criação da Fotoativa. Fotógrafo independente atuou junto ao Jornal Resistência da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos e colaborou com a Agencia F4, cobrindo fatos e eventos que envolveram organizações populares e o movimento nos anos 1980 e 1990. Em 1991, junta-se a outros fotógrafos e funda a Agencia Kamara Ko Fotografias.

Como autor participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Suas obras transitam entre imagens, instalações e objetos de caráter conceitual, pautados na experiência de religação dos sentidos. Em 2012, recebeu o Prêmio Brasil de Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural – MINC por sua contribuição à cultura brasileira.

 

SAIBA MAIS

Em entrevista para ZUM, Miguel Chikaoka fala sobre sua formação e trajetória fotográfica

Circuito – Miguel Chikaoka

Workshop Prévio – Miguel Chikaoka – Festival Hercule Florence

 

Inscrições aqui

 

 


Postado por

Fechado para comentários.

http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-2.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-d22142.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-d22136.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-d22138.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-.html